06/06/2017 às 16h37min - Atualizada em 06/06/2017 às 16h37min

Projetos de Meio Ambiente em andamento

Agroindústria e "Plantio de Água"

O Executivo Municipal está sempre atento a captação de recursos para o município de Sem-Peixe, participa ativamente de reuniões em todas as esferas governamentais e abraça as oportunidades de beneficiar Sem-Peixe.
Muito preocupado com os desafios da crise hídrica que tanto a população urbana, quanto rural vem enfrentando nos últimos cinco anos devido às duas catástrofes que deixaram marcas degradantes e dificultaram a sobrevivência tanto de pessoas como a fauna e a flora local: a passagem do mineroduto em 2011, que com suas escavações atingiram duas grandes nascentes com reflexo no lençol freático e em 2015 com o rompimento da barragem em Mariana que deixou o Rio Doce morto e sem condições de manter a vida.
Em 2016, na cidade de Governador Valadares, o prefeito de Sem-Peixe participou da reunião da Samarco com os prefeitos das cidades afetadas pela lama e trouxe de primeira mão todas as informações preciosas para por em prática projetos que há muitos anos as comunidades rurais e associações pleiteavam. Acreditando que parceria é tudo e que juntos somos mais fortes, articulou junto com a EMATER/MG, Associação Escola Família Agrícola de Camões (AEFAC), Fundação Banco do Brasil (FBB), Universidade Federal de Viçosa (UFV) e Conselho de Desenvolvimento Comunitário do Barbosa (CCB) a realização de dois projetos.
São eles:
Projeto: “Plantio de Água” da Associação Escola Família Agrícola de Camões recebeu o recurso disponibilizado pela FBB no valor de R$135.295,59 e a contrapartida da AEFAC no valor de R$1500,00 que propõe a implantação de 21 UPEPAS (Unidades Participativas de Experimentação em Plantio de água) como forma Pedagógica de promoção de práticas de recuperação das condições ambientais favoráveis à qualidade e à quantidade de água na zona rural do município. Tudo muito bem orientado pela Ciência Agroecológica e o denominado “Plantio de Água” que se caracteriza pela construção do conhecimento em conjunto para execução de medidas conservacionistas para o solo e água, e, que só se realiza com a mobilização e envolvimento das comunidades desde a captação até a definição de estratégia de ação para o saneamento rural visando facilitar a infiltração da água de chuva no solo e o tratamento de esgotos domésticos e dos dejetos de animais.
Espera-se com este projeto atingir resultados impactantes como a inserção dos estudantes da EFA-Camões no processo de mobilização, conscientização e aplicação de técnicas de conservação de solo e de água, proteção das áreas de recarga e das nascentes colaborando para o aumento da vazão dos córregos que deságuam no Rio Doce, aumentando a disponibilidade de água nas propriedades atendidas pelo projeto, melhoria no saneamento básico rural, com a construção de fossas sépticas evapotranspiradoras ou biodigestoras consequentemente melhora a qualidade da água, anseia-se também com este projeto recuperar áreas degradadas através do plantio de mudas de espécies nativas, fortalecendo o associativismo e aumento do capital das comunidades e com tudo isso tornar-se uma referência para multiplicação dessas experiências em outras localidades da Bacia do Rio Doce. Este projeto já está em fase de execução, foi contratada uma técnica em agropecuária, para acompanhar todas as etapas do projeto.
Já foi adquirido um veículo para o transporte dos materiais necessários e locomoção da técnica durante a execução do projeto, foi construído um viveiro com 288m² com capacidade de produzir 30.000 mudas/ano e uma mini estação de tratamento de esgoto (MiniETE) na EFA-Camões. O objetivo maior do Plantio de água em toda região é aumentar  a quantidade e a qualidade de água que chegará ao Rio Doce nos próximos anos, esperando assim “ressuscitá-lo”.
O Projeto Agroindústria do Conselho de Desenvolvimento Comunitário do Barbosa recebeu o recurso disponibilizado pela FBB, R$109.999,00 com a contrapartida do CCB no valor de R$1200,00. A construção da Cozinha Comunitária para o CCB é um sonho antigo da comunidade do Barbosa que com a produção familiar de frutas e hortaliças vem se destacando e sendo motivada pelos programas do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), PAA( Programa Aquisição de Alimentos) e até mesmo para o comércio informal. O sonho tornou uma necessidade para o crescimento econômico dos produtores rurais e desenvolvimento da comunidade. A obra já se iniciou e em breve será inaugurada.
Estes projetos são pleiteados há muitos anos pelas associações locais e segundo Maísa Faustina da Emater/Mg, em 2016 foram conquistados os recursos financeiros através da seleção dos projetos das cidades afetadas com o lamaçal da Samarco pela Fundação Banco do Brasil. Sem-Peixe saiu na frente porque já tinha os projetos prontos e ansiavam por esta oportunidade trazida pelo Executivo Municipal.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »